Thursday, July 21, 2005

"Falta a luz dos teus olhos na paisagem...
O oiro dos restolhos não fulgura,
Os caminhos tropeçam
A procura da recta claridade dos teus passos...
Os horizontes, baços,
Muram a tua ausência,
Sem transparência.
O mesmo rio que te reflectiu
Afoga agora o teu perfil perdido...
Por te não ver, a vida anoiteceu
A hora em que teria amanhecido."

Miguel Torga, Antologia Poética

2 comments:

Hugo said...

Este poema significa muito, e muito nos deixa pensar.. Até que ponto valerá a pena?

Anonymous said...

K bonito :)